quinta-feira, 28 de maio de 2009


Observar, aperceber os movimentos IN, avaliar o perigo...
E, acima de tudo, olho bem aberto.
O caminho para a vitória, ou seja, o regresso ao arame sãos e salvos..., tinha de ser trilhado com todas as cautelas.
Nós ali estávamos, conscientes das nossas responsabilidades, aptos a analisar a melhor maneira de fazer da operação em curso mais um sucesso!
Perante a presença de homens como estes - Alferes Abrantes e Oliveira - O IN recuava atabalhoada e ruidosamente!

3 comentários:

FERNANDO RODRIGUES disse...

NÃO SEI SE ESTÃO A REPARAR NA TÉCNICA USADA PELOS NOSSOS OPERACIONAIS. ERA UMA ARMA APONTADA PARA A FRENTE E A OUTRA PARA TRÁS, EM ESTRATÉGIA CHAMA-SE A ISTO COBERTURA TOTAL.
RODRIGUES EM 28/05/09

Oliveira, ex-Alf. Mil. disse...

Boa, Rodrigues. É assim que tem de ser: haver quem dê motes e outros pegarem-lhe. Também esta é uma sã forma de convívio, que pode durara o ano inteiro!

Ranger disse...

Para quem se lembra... esta fotografia foi tirada depois de mais uma travessia do Canacassala. Haviamos pernoitado num planalto antes da ponte sobre o rio Onzo e de onde se podiam ver as luzes de Nambuangongo. Não sei porquê mas isso dava-me uma sensação de segurança....
Acontece que durante essa noite chuveu imenso. Como era hábito nestas circunstâncias e para nos protegermos da chuva, eu, o Oliveira e mais um ou dois furrieis deitamo-nos juntos, os panos de tenda a fazerem de colchão e tapados com os ponchos. A meio da noite, estranhei o conforto que sentia no meio dos meus colegas de cama. O Oliveira, que entretanto estava encharcado até aos ossos, lembrou-se de despejar para cima de mim toda a água que entretanto se acumulara no "barrete" do poncho. Acontece que tive de me despir e torcer a t-shirt para a voltar a vestir outra vez. Lá se foi o resto da noite que passei a fumar cigarros atrás de cigarros e a olhar para as luzinhas de Nambuangongo...